• 02
  • 03
  • 04
  • 05

A The Mammys tem como missão facilitar a vida dos futuros pais.

A Baby Planner ou consultora de maternidade é uma profissional que atua de forma personalizada, sempre respeitando o estilo de vida e as preferências da família. 

Oferecemos apoio, informação e recursos para que os futuros pais tomem as decisões mais adequadas de forma segura e tranquila, auxiliando no planejamento durante a gravidez e após a chegada do bebê, em áreas específicas como: opções de parto, cronograma da gestação, escolha do enxoval, segurança, apoio emocional, aleitamento materno, organização de eventos, decoração e muito mais...

Com o recente surto de ZIKA vírus no Brasil e o decreto da Organização Mundial de Saúde (OMS) do estado de emergência de saúde pública internacional por causa da provável relação entre a infecção pelo ZIKA vírus e a microcefalia, todo mundo está cheio de angustias.

Ainda são muitas as dúvidas, mas muito está sendo feito pelos médicos e pesquisadores para achar as respostas e soluções para este novo VÍRUS.

Foi montada uma força-tarefa de pesquisadores contra o ZIKA vírus. Batizado de Rede Zika, o grupo coordenado pelo virologista Dr Paolo Zanotto, do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, é composto por 25 laboratórios e cerca de 300 pesquisadores nas mais diferentes frentes: virologia, infectologia, entomologia, neonatologia, entre outras.

Mas com tantas informações e suposições que estão disponíveis na mídia, fiz uma entrevista com a Dra Evelyn Eisenstein, professora associada de pediatria e Clinica de Adolescentes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e diretora da Clínica de Adolescentes, e complementei com outros profissionais e mais pesquisas realizadas através da internet, para tirar as principais dúvidas das mães.

 

Vejam abaixo:

 

O ZIKA:

1. Já foi confirmado que é o ZIKA que causou a microcefalia nos bebês? 

Segundo a Dra Isabel Rey Madeira, atual presidente da SOPERJ Sociedade Pediátrica do RJ, em entrevista para o Jornal O Globo (28/01) “está comprovado que o vírus provoca sequelas neurológicas nos bebês”.

Mas ainda precisam ser feitos muitos estudos e pesquisas para confirmar essas informações. Segundo a Dra Evelyn Eisenstein “a microcefalia e as calcificações que estão sendo encontradas são prováveis diagnóstico de problemas como retardo mental, mas tudo ainda está sendo estudado. Foram também relatadas alterações oftalmológicas em bebês”.

 

2. Se o mosquito contaminado pelo ZIKA botar ovos, suas larvas, e posteriores mosquitos filhos nascerão contaminados?

Segundo matéria publicada pelo O Globo em 31/01/2016, se a fêmea infectada pelo ZIKA botar ovos, os mesmos estarão infectados pela doença

A infecção pode ocorrer através de uma única picada. Primeiro o mosquito se alimenta do sangue de uma pessoa infectada e se infecta com o vírus. Depois, o vírus se propaga para outros tecidos do inseto, como a glândula salivar, e assim é subsequentemente liberado em sua saliva. O inseto se mantém infectado por toda a vida. 

Fonte O Globo

“Se uma pessoa infectada com ZIKA for picada pelo mosquito, este passará a transmitir a doença para as próximas pessoas que picar. É por isso que existe chance de a doença se espalhar por outras regiões do Brasil”.

Fonte revista Crescer 

 

3. Já se sabe tudo sobre o ZIKA ou ainda existem dúvidas sobre todas as consequências que ele pode causar. 

Existem muitas dúvidas a respeito do ZIKA. É um vírus novo, não se sabe direito como chegou ao Brasil, quais os efeitos nos bebês de gestantes que estão no 2º ou 3º trimestre, os efeitos nos adultos e etc.... não se sabe o porquê algumas mães que tiveram ZIKA tiveram bebês saudáveis e outras não. Muito ainda precisa ser estudado.

O fato é que todos nós estamos vulneráveis ao vírus, e de acordo com a Dra Evelyn “os mais vulneráveis são crianças pequenas, gestantes, idosos ou pessoas já debilitadas por qualquer outra doença”.

 

4. Quais exames existem hoje?  É possível fazer algum exame que determine se você já teve ou não contato com o vírus?

Em nota do dia 03/02/2016, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu aprovar o registro de dois testes para detecção do vírus ZIKA. São os primeiros exames desse modelo a obter aprovação no Brasil - um deles capaz de detectar o vírus meses após a infecção. A medida foi publicada nesta quarta-feira 03/02/16 no Diário Oficial da União (DOU). Até então, o Brasil só tinha disponível em laboratórios um outro tipo de diagnóstico para o ZIKA, feito pelo método conhecido como PCR, que verifica a presença do genoma do vírus. O teste, porém, só é eficaz durante o quadro agudo da infecção - ou seja, quando a pessoa apresenta sintomas da doença. Segundo a Anvisa, os novos testes aprovados conseguem detectar a presença, por meio de métodos de imunoflorescência, de dois tipos de anticorpos, o IgG (imunoglobina G) e IgM (imunoglobina M), para três doenças: dengue, chikungunya e zika.

Fonte Valor  

Sobre o outro exame, o RNA PCR, exame que pode identificar o ZIKA vírus, só é eficaz se feito preferencialmente nos cinco primeiros dias de sintomas. Ele identifica, pelo sequenciamento genético do vírus, a presença do agente no organismo. Como os sinais de zika, dengue e chikungunya são semelhantes, o teste é a única maneira de esclarecer qual virose o paciente contraiu

O teste detecta a presença do ácido ribonucleico (RNA), responsável pela síntese de proteínas da célula. É feito em duas etapas: na primeira, identifica a presença de um vírus; na segunda, faz o sequenciamento genético para identificar qual dos agentes infectou o organismo.

Fonte Estadão

 

5. As pessoas que foram infectadas, adultos ou crianças, com o vírus ZIKA precisam fazer acompanhamento médico e continuar acompanhando possíveis sequelas ao longo dos meses/anos?

“Sim, com certeza, ainda se sabe pouco sobre as consequências e repercussões, além da microcefalia, existem calcificações no cérebro, distúrbios oftalmológicos, síndrome de Guillan-Barre, problemas imunológicos e neurológicos de "hemiplegia" e paralisias sendo investigadas também, e logicamente o retardo mental que vai acontecer em alguns casos”, dia a Dra Evelyn.

 

6. Existem outras formas de ser infectado além da picada?

“Já se sabe que o vírus pode ser transmitido pelo sêmen do homem e por isso há a preocupação da possibilidade de ser uma doença sexualmente transmitida. Além disso, pode ser transmitido no leite humano e atravessar a placenta (transmissão vertical da mãe para o bebê). Ainda não se sabe sobre transmissão oral (no beijo) ou respiratória (mas é sempre importante não beijar alguém infectado)”, comenta a Dra Evelyn.

 

7. A partir de que mês do ano é esperado que o surto dê uma trégua?

A Dra Evelyn explica que “o surto PIORA nos meses de verão devido ao calor e as chuvas e MELHORA no frio, mas está prevista uma PIORA no Sudeste nos meses de Março, Abril, Maio, Junho e já melhorando em Julho, Agosto, Setembro”.

 

8. Qual é o comportamento do mosquito? Em quais horários ele está mais ativo?

Segundo a Gerência de Zoonoses, da Secretaria de Saúde, o Aedes possui hábitos diurnos, sendo mais ativo nas primeiras horas da manhã e no fim da tarde.

Por isso precisamos cuidar de nossas casas, e colocar telas nas janelas, usar repelentes e deixar tudo fechado.

 

 

SINTOMAS:

9. Já se sabe quanto tempo o vírus fica no corpo da pessoa picada? Os sintomas são nítidos, ou você pode pegar o ZIKA e nem perceber? 

Segundo a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), os sintomas são semelhantes aos da dengue e da chikungunya: exantema (erupção cutânea), dor de cabeça, no corpo e nas articulações, vermelhidão nos olhos, náuseas. Causa ainda fotofobia, conjuntivite e coceira intensa. Com um período de incubação de três a 12 dias, sua evolução geralmente é branda e os sintomas duram em geral de dois a sete dias. Apenas 18% dos infectados pelo vírus ZIKA apresentam manifestações clínicas da doença.

Todas essas doenças são transmitidas pelo mesmo vetor, o Aedes aegypti, e caso você sinta qualquer um desses sintomas, procure um médico!

 

10. Quais sintomas em adultos, lactentes e crianças?

Os sintomas são “febre alta, mal-estar geral, dor atrás dos olhos, dor-de-cabeça, rash/eritema (erupções cutâneas) em crianças, mas é sempre importante ser examinado por médico pediatra para se fazer o diagnóstico diferencial. Muitas viroses podem começar de forma semelhante, mas podem também causar pneumonias, encefalites, meningites, gastro-enterites com desidratações e outras complicações”, diz a Dra Evelyn.

Quando perguntei sobre a coceira causada pela picada do mosquito infectado pelo Zika, a Dra Evelyn explicou que “a coceira é pouca, mais uma irritação da pele, fica vermelha e "empolada" 3-5 dias. A picada de mosquito não dói, só coça e pode ficar com a pele ferida ou infectada, por causa da sujeira e contaminação das unhas e da pele”.

 

GESTANTES:

11. É recomendável que quem pretende engravidar espere? Por quanto tempo?

Todos os médicos e especialistas estão sugerindo que as mulheres que querem engravidar, esperem mais um pouco. Perguntei à Dra Evelyn quanto tempo devem esperar, e ela explicou que “o tempo não sabemos, estamos no início dessa epidemia, é preciso ficar ALERTA e acompanhar” .

 

12. Com quanto tempo de gestação o ZIKA provoca má formação no bebê? Somente nos três primeiros meses ou durante toda a gestação?

De acordo com a Dra Evelyn, “as evidencias atuais são observadas em infecções nos três primeiros meses de gestação, mas é provável que TODOS os meses, em que o cérebro está em crescimento na vida intrauterina ofereçam riscos,  e talvez também depois. Isso porque o vírus é neurotrópico, ou seja, trafega nas terminações neurais e atravessa as meninges”.

 

Para saber se uma gestante que contraiu o ZIKA teve seu bebê afetado, é possível fazer uma ultrassonografia para avaliar a circunferência cefálica do feto. De acordo com o Dr. Renato Ximenes, membro da Comissão de Ultrassonografia do Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR) e Diretor da Fundação de Medicina Fetal Latinoamericana (FMFLA), o diagnóstico da microcefalia intra-útero é feito quando a medida da circunferência cefálica (CC) é menor que 2 desvios padrões (DP) do limite inferior da curva de normalidade para a idade gestacional.

Fonte CBR 

  

13. Toda grávida que tiver ZIKA terá o bebe com microcefalia?

Em entrevista para Portal Brasil, a especialista do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Ana Elisa Baião afirma que “pouco se conhece sobre o vírus ZIKA e outros fatores poderiam estar influenciando a passagem deste vírus pela barreira placentária. Podem ter outros fatores que estejam propiciando a microcefalia. Contudo, podemos afirmar que nenhuma infecção que ocorra durante a gravidez tem uma taxa de 100% de transmissão para o feto. E quando tem infecção no feto, elas não se manifestam da mesma forma. Por ser um assunto novo, não tem como a gente afirmar qual é essa taxa de transmissão e qual a chance do feto desenvolver a doença”.

Fonte Portal Brasil

Estuda-se atualmente a possível variabilidade da resposta à infecção pelo vírus ZIKA, tanto em pacientes, como em fetos de gestantes infectadas. 

Este fato é fortemente amparado pela observação em recém-nascidos gêmeos, cuja mãe foi infectada e um dos bebês nasceu com microcefalia e o outro não. Isto sugere que outros fatores, além da presença do vírus, podem interferir na manifestação no sistema nervoso. Novos estudos genômicos serão iniciados pelo grupo de Mayana Zatz, diretora do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco da USP, quem também faz parte da Rede ZIKA, para verificar se há, e quais são os fatores genéticos envolvidos.

Fonte Estadão

 

MULHERES NÃO GESTANTES:

14. Quem pegou o vírus antes de engravidar fica imune e não passa para o bebê?

Não se sabe ainda. Segundo o Dr Drauzio Varella, em entrevista para o Fantástico no dia 31/01, “o vírus ZIKA é um vírus só, diferente da Dengue que são 4 vírus. Sendo um vírus só, o ZIKA, é muito provável que você desenvolva uma imunidade permanente contra o vírus e definitiva, mas a gente não tem certeza”.

Fonte Fantástico

 

CRIANÇAS ATÉ 7 ANOS:

Os bebês e crianças mais velhas, também são vulneráveis em contrair a ZIKA e suas consequências. “Durante a gestação o crescimento cerebral é máximo, mas após o nascimento, e durante os primeiros 6 anos de vida, ainda existe crescimento cerebral” disse a Dra Evelyn.

Se o seu filho contrair ZIKA, e apresentar os sintomas que listamos acima, leve com urgência para o pediatra ou ao hospital mais próximo da sua casa!

Segundo a Dra Evelyn, já existem casos comprovados em crianças, mas apenas com a comprovação clínica e não laboratorial.

 

PREVENÇÃO:

15. Quais as melhores formar de evitar o vírus?

Evitar aglomerações, shoppings centers, parques, usar mosquiteiros ou telas nas janelas. A Dra Evelyn recomenda também o uso de tule ou mosquiteiros para os carrinhos de bebês. Ainda reforça a importância de sempre lavar as mãos, usar calças compridas, meias e mangas compridas, podendo optar por roupa leves de algodão, mas que protejam e sempre FICAR ALERTA! 

DICA: Roupas claras ofuscam a presença do mosquito, por brilharem muito, e favorecem a visualização do inseto.

Fonte revista Crescer 

Assim como no caso da dengue, toda e qualquer água parada pode ser usada como criadouro do vírus ZIKA. Precisamos estar atentos! O lixo, calhas e caixas d’agua, potinhos e vasos, recipientes de bebidas, pneus e qualquer coisa que possa acumular água, capas de piscina, potinhos de água dos animais, telhados, vasos sanitários e etc.... TODO CUIDADO É POUCO!

Não podemos esquecer de tratar as piscinas com cloro.

 

16. Primeiro devemos passar o repelente ou o protetor solar?

De acordo com a Dra Evelyn, “primeiro o bloqueador solar em contato com a pele e depois o repelente”.

Algumas mães me perguntaram se passar perfume nos bebês pode atrair o mosquito, e a Dra Evelyn me explicou que os perfumes não atraem mosquitos, mas podem causar alergias.

 

ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO:

17. Os animais podem ser infectados pelo ZIKA e transmitir a doença para os humanos?

Sim, o ZIKA foi um vírus identificado em macacos na África lá no início da doença, mas existem muitos arbovirus e todos estão sendo melhor estudados e pesquisados!

 

 

 

Outras Fontes: 

http://m.saude.estadao.com.br/noticias/geral,15-perguntas-e-respostas-sobre-o-zika-virus,10000004234
http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/01/especialistas-esclarecem-duvidas-de-gravidas-sobre-o-zika-virus.html
www.who.int
www.brasil.gov.br
Imagens: Google

 

Quem Sou

"Sou formada em Administração de empresas, com MBA em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios... Mas minha grande paixão sempre foi o mundo das gestantes e  bebês. "

Leia mais

Newsletter

 

Receba nossos informativos!

 

Contatos

Entre em contato conosco e veja como podemos ajudar. 

email contato@themammys.com.br
web Formulário de contato

© 2017 The Mammys
Quiweb.com
Back to Top
x

Receba nossas novidades

Cadastre seu e-mail e receba nossas dicas, novidades e descontos especiais!